Follow by Email

sábado, 2 de junho de 2012

velhas palavras


ditas de tantas bocas e de tantos ouvidos envelhecidas
quero-as para mim
sempre inexauríveis de velhas verdades
de simplicidade tanta
palavras esquecidas
desprezadas sob as ruínas de minha soberba
preencham este abismo cavado de tanta procura
quero-as de volta
eu redivivo


Nenhum comentário:

Postar um comentário